betway

Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Médicos mortos por engano no Rio: polícia prende miliciano que era alvo de traficantes

    Uma das vítimas do ataque ocorrido na Barra da Tijuca era irmão da deputada Sâmia Bomfim (PSOL-SP)

    Rodrigo Monteiroda CNN

    No Rio de Janeiro

    Ouvir notícia

    Foi preso na tarde desta terça-feira (31), no Rio de Janeiro, o miliciano Taillon de Alcântara Pereira Barbosa, o verdadeiro alvo dos traficantes que executaram por engano três médicos em um quiosque da zona norte da capital fluminense no início do mês de outubro.

    No começo de outubro, três médicos ortopedistas morreram e um ficou ferido após serem baleados na avenida da praia da Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio de Janeiro.

    Taillon de Alcântara Pereira Barbosa (esq.), filho de miliciano que atua no Rio de Janeiro, e Perseu Ribeiro Almeida (dir.), médico assassinado no Rio de Janeiro
    Taillon de Alcântara Pereira Barbosa (esq.) teria sido confundido com o médico Perseu Ribeiro Almeida (dir.), assassinado no Rio de Janeiro / Reprodução

    Os quatro foram socorridos por bombeiros. Marcos de Andrade Corsato, Perseu Ribeiro Almeida e Diego Ralf de Souza Bomfim, que era irmão da deputada federal Sâmia Bomfim (PSOL-SP), morreram no local.

    De acordo com as investigações, Perseu Almeida teria sido confundido com Taillon Barbosa, o que teria feito com que o grupo fosse alvo da ação criminosa.

    Taillon é filho de um dos chefes da milícia que atua na zona norte do Rio. Ele foi preso pela Polícia Federal na Barra da Tijuca, perto do centro metropolitano e da zona portuária.

    Ele havia sido solto e cumpria prisão domiciliar, mas, por causa do risco de execução, vinha sendo escoltado e monitorado por policiais militares envolvidos com a milícia.

    Nas redes sociais, circulam vídeo do momento em que ele foi preso pelos agentes federais.

    Relembre o caso

    Os quatro médicos estavam no Rio de Janeiro para participar do 6º Congresso Internacional de Cirurgia Minimamente Invasiva do Pé e Tornozelo, evento internacional com apoio da Associação Brasileira de Medicina e Cirurgia do Tornozelo e Pé, entidade que os médicos faziam parte.

    Na madrugada de quinta-feira (5), o grupo estava em um quiosque na Barra da Tijuca quando foi alvejado pelos criminosos.

    Um dia depois do crime, a Polícia Civil do Rio de Janeiro encontrou os corpos de quatro suspeitos de terem realizado os ataques.

    Os corpos dos supostos autores do ataque a tiros tinham ferimentos de disparos de arma de fogo e facadas. Eles estavam em dois carros encontrados em pontos diferentes da zona oeste. Um dos mortos estava no porta-malas de um veículo na Praça da Gardênia, na Gardênia Azul; os outros três estavam em outro veículo, em uma rua perto do Riocentro.

    Segundo a Delegacia de Homicídios da Capital (DHC), o corpo encontrado na Gardênia Azul seria de um traficante chamado Lesk, que teria migrado da milícia para o Comando Vermelho após a entrada do tráfico no bairro. Os investigadores acreditam que ele teria sido o autor da ordem do ataque contra os médicos.

    Quem são os médicos mortos

    Diego Bomfim

    Diego Ralf de Souza Bonfim era irmão da deputada federal Sâmia Bomfim (PSOL-SP) e se especializou em reconstrução óssea pelo Instituto de Ortopedia e Traumatologia (IOT) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).

    Marcos Corsato

    Marcos de Andrade Corsato era médico assistente do grupo de Tornozelo e Pé do IOT da FMUSP. Ele fez graduação e mestrado em ortopedia e traumatologia na USP.

    Perseu Almeida

    Perseu Ribeiro Almeida se formou em medicina pela Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC) de Salvador, fez residência em ortopedia e traumatologia pelo COT e se especializou em cirurgia em pé e tornozelo pelo IOT da FMUSP.

    Mais Recentes da CNN

    betway Mapa do site