betway

Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    #CNNPop

    Adotado por Dua Lipa e Megan Fox, cabelo vermelho tem história surpreendente

    Fios acobreados já foram temidos em tempos antigos, mas também já significaram poder; especialistas traçam linha do tempo da cor do momento usada pelas celebridades

    Dua Lipa e Megan Fox aderiram aos fios vermelhos recentemente
    Dua Lipa e Megan Fox aderiram aos fios vermelhos recentemente Reprodução/ Instagram

    Leah Dolanda CNN

    Qual é a cor de 2024? A Pantone ainda está decidindo, mas às vezes as evidências que precisamos para descobrir estão nos cabelos das celebridades. Dua Lipa, Megan Fox e alguns outros nomes aderiram aos fios vermelhos recentemente – e a nova cor está fazendo sucesso.

    Em agosto deste ano, Billie Eilish reviveu seu cabelo clássico – o comprimento no tom de preto e a raíz com alguma tintura colorida – desta vez, em vermelho cereja.

    Um mês depois, Megan Fox estreou um cabelo long bob de cor escarlate, um tom bem vivo de vermelho. Pouco tempo depois, foi a vez de os cabelos de Dua Lipa também mudarem.

    Em outubro, a dona de “Houdini” estreou um tom de vermelho mais escuro nos fios. Ela chegou a combinar o cabelo com roupas e acessórios em tons de bordô e marrom.

    Até Kendall Jenner, enquanto desvendava sua vida em looks para a revista Vogue no início deste mês, abordou o cabelo cobre que aderiu em 2022. “Gente, estou com saudades do meu cabelo ruivo”, disse ela que está morena outra vez. “Eu não sei o que fazer sobre isso. Voltei ao meu tom muito cedo”, acrescentou.

    Nas passarelas outono-inverno 2023, tranças cereja e um “loiro morango”, que nada mais é do que um loiro acobreado, foram vistos na Burberry, Rodarte, Gucci e Missoni, para citar alguns. Em setembro, ainda mais designers aderiram ao novo estilo, desde Versace e Diesel até Miu Miu e Louis Vuitton. A modelo ruiva natural Rianne Van Rompaey desfilou em oito dos maiores desfiles da temporada, incluindo abertura para The Row, Paco Rabanne e fechamento para Chanel.

    Mas o fascínio do cabelo flamejante está longe de ser uma tendência da nova era. Na verdade, o interesse das pessoas nos cabelos vermelhos ou ruivos tem uma história surpreendentemente extensa.

    A história surpreendente do cabelo vermelho e dos cabelos ruivos

    Menos de 2% da população mundial é composta por ruivos naturais e esta cor de cabelo foi temida e fetichizada durante centenas de anos. Durante o auge dos julgamentos de bruxas na Europa do século 15, ter cabelos ruivos era considerado uma marca do diabo – às vezes, evidência suficiente para ser queimado na fogueira, por exemplo.

    No século XVII, o acadêmico inglês Obadiah Walker escreveu um contra-ataque implorante à cultura generalizada de “difamar” os homens ruivos. “Homens menosprezam seus semelhantes”, disse Walker. “E isso muitas vezes é feito com base em motivos tão triviais… A desvalorização das pessoas, meramente por causa da cor nativa do excremento da cabeça”.

    A historiadora capilar Rachael Gibson destaca que a tonalidade sempre foi considerada dessa forma. “Judas na Bíblia é retratado como tendo cabelos ruivos e, da mesma forma, os antigos gauleses e escoceses – pessoas que atacavam e invadiam (a Inglaterra) – tendiam a ter cabelos ruivos”, disse ela em entrevista àCNN. “Portanto, desde os primeiros tempos eles representaram invasores”.

    Mas para alguns, o cabelo ruivo era uma raridade poderosa. Durante seu reinado no século 16, os cachos ruivos da Rainha Elizabeth I foram uma escolha deliberada, e não um presente natural. De acordo com o autor de “Red: A Natural History of the Redhead” (“Vermelho: A História Natural dos Ruivos”, em tradução livre), Jacky Colliss Harvey, Elizabeth I usou perucas durante a maior parte de sua vida e poderia aparentemente escolher qualquer tom que existisse – mas a monarca escolheu o ruivo e supostamente até tingiu os casacos dela cavalos para combinar.

    “Quando Elizabeth I estava no trono, o cabelo ruivo estava na moda”, disse Gibson. “Homens e mulheres na corte tingiram os cabelos de vermelho, para mostrar sua lealdade”.

    Ao longo da história, o tom entrou e saiu de moda. Em meados do século XIX, artistas pré-rafaelitas, como Gabriel Rossetti, pintavam quase exclusivamente belezas ruivas; de repente, um jornalista de moda percebeu em 1923 que a cor do cabelo havia tomado Paris. “O cabelo está sendo tingido de vermelho quando não é naturalmente dessa cor”, diz o artigo de moda de 100 anos dos arquivos do Guardian. “Ter uma cor natural, no que diz respeito a Paris, não é algo comum”.

    Também em 1988, o New York Times anunciou que o vermelho era “a cor de cabelo cativante do momento”, escreveu Linda Wells. “Não importa o quão na moda estejam agora, as ruivas nunca serão comuns”.

    Sentir-se visto ainda é a principal motivação por trás da cor do cabelo hoje. “As pessoas que querem experimentar o cabelo ruivo pela primeira vez querem fazer algo emocionante”, disse a cabeleireira de celebridades Jenna Parry, àCNN. Parry criou o tom “páprica defumada”, para Kendall Jenner no ano passado e também está por trás das transformações ruivas de Emily Ratajkowski e Maude Apatow. “Eles querem exalar confiança e se destacar na multidão”, refletiu.

    Para a cabeleireira Nicole Keenen, em Chicago, também há uma vantagem econômica para seus clientes. “Definitivamente tem uma acessibilidade que as loiras não têm”, disse ela à CNN. “Especialmente para tipos de cabelo mais escuros, o loiro é muito caro para manter”, concluiu.

    Em termos de Dua Lipa e Megan Fox, poderia ser uma coincidência que sua drástica mudança de cabelo tenha sido habilmente cronometrada para novos projetos (a coleção de poesia de Fox, “Pretty Boys Are Poisonous: Poems”, foi lançada em 7 de novembro, enquanto o último single de Lipa, “Houdini”, foi lançado em 9 de novembro)?

    “É uma coisa tão visual que podemos identificar a cor em um segundo. E o vermelho tem um apelo duradouro em termos de ser atraente”, disse Gibson. “É um bom momento para mudar de cabelo quando você lança um álbum”, concluiu.

    betway Mapa do site