betway

Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Presidente de Taiwan viaja para os EUA e minimiza pressão da China

    China ameaçou retaliação se ela se encontrasse com o presidente da Câmara dos EUA, Kevin McCarthy

    Da Reuters

    A pressão externa não impedirá que Taiwan se envolva com o mundo, disse a presidente Tsai Ing-wen nesta quarta-feira (29) ao partir para os Estados Unidos.

    AChina ameaçou retaliação se ela se encontrasse com o presidente da Câmara dos EUA, Kevin McCarthy.

    O país, que reivindica Taiwan governada democraticamente como seu próprio território, alertou repetidamente as autoridades dos EUA para não se encontrarem com Tsai, vendo isso como um apoio ao desejo da ilha de ser vista como um país separado.

    A China encenou jogos de guerra em torno de Taiwan em agosto passado, quando a então presidente da Câmara dos EUA, Nancy Pelosi, visitou Taipei.

    As forças armadas de Taiwan disseram que estão atentas a qualquer movimento chinês quando Tsai estiver no exterior.

    A presidente vai para a Guatemala e Belize, passando por Nova York primeiro e Los Angeles na volta.

    Embora não tenha sido confirmado oficialmente, ela deve se encontrar com McCarthy enquanto estiver na Califórnia.

    “A pressão externa não impedirá nossa determinação de ir ao mundo”, disse ela no principal aeroporto internacional de Taiwan em Taoyuan, em uma referência velada à China.

    “Estamos calmos e confiantes, não cederemos nem provocaremos. Taiwan caminhará firmemente no caminho da liberdade e da democracia e entrará no mundo. Embora esse caminho seja difícil, Taiwan não está sozinho”. 

    Falando em Pequim pouco antes da partida de Tsai, Zhu Fenglian, porta-voz do Escritório de Assuntos de Taiwan da China, disse que os “trânsitos” de Tsai pelos Estados Unidos não eram apenas sua espera no aeroporto ou hotel, mas para ela se encontrar com autoridades e legisladores do país.

    “Se ela tiver contato com o presidente da Câmara dos EUA, McCarthy, será outra provocação que viola seriamente o princípio de Uma Só China, prejudica a soberania e a integridade territorial da China e destrói a paz e a estabilidade no Estreito de Taiwan”, disse ela.

    “Nos opomos firmemente a isso e definitivamente tomaremos medidas para revidar resolutamente”, acrescentou Zhu, sem dar detalhes.

    Os trânsitos de Tsai ocorrerão em um momento em que as relações dos EUA com a China estão no que alguns analistas veem como seu pior nível desde que Washington normalizou os laços com Pequim em 1979 e trocou o reconhecimento diplomático de Taipei.

    Taiwan é a questão territorial mais delicada da China e um grande ponto de discórdia com Washington, que, como a maioria dos países, mantém apenas laços não oficiais com Taipei.

    No entanto, o governo dos Estados Unidos é obrigado pela lei dos EUA a fornecer à ilha os meios para se defender.

    betway Mapa do site