betway

Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Polícia da Índia usa gás lacrimogêneo contra protestos de agricultores

    Marcha é a mais recente de uma série de protestos semelhantes que começaram há mais de dois anos e acontecem meses antes das eleições nacionais

    Gás lacrimogêneo disparado enquanto agricultores indianos iniciam marcha de protesto em Nova Delhi
    Gás lacrimogêneo disparado enquanto agricultores indianos iniciam marcha de protesto em Nova Delhi Reuters

    Shivam Patelda Reuters

    em Nova Delhi

    A polícia da Índia disparou gás lacrimogêneo, nesta terça-feira (13), contra centenas de agricultores e seus apoiadores durante um protesto em Nova Delhi para pressionar o governo a honrar uma promessa que fez em 2021 de pagar mais pelas colheitas.

    A marcha é a mais recente de uma série de protestos semelhantes que começaram há mais de dois anos e acontecem meses antes das eleições nacionais, nas quais o primeiro-ministro Narendra Modi tentará um terceiro mandato, com os agricultores sendo uma base eleitoral influente.

    Os agricultores dirigiram-se para o sul, para Deli, um dia depois de negociações entre os sindicatos agrícolas e os ministros do governo não terem conseguido garantir compromissos para fornecer preços mínimos para uma série de culturas.

    “O governo não foi capaz de tomar uma decisão forte sobre nada. Achamos que dar tempo não é adequado agora”, disse Sarwan Singh Pandher, secretário-geral do Comitê Punjab Kisan Mazdoor Sangharsh (KMSC), à agência de notícias ANI.

    Centenas de agricultores e seus apoiadores foram vistos mobilizando-se a pé e em grandes comboios de tratores em muitas partes dos estados produtores de pão do norte de Punjab e Haryana.

    Ao meio-dia (3h30, no horário de Brasília), a polícia disparou gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes em Shambhu, uma passagem de fronteira entre Punjab e Haryana, cerca de 230 km ao norte de Delhi, onde muitos se juntaram à marcha.

    As imagens mostraram manifestantes tentando romper as barricadas levantando blocos de cimento ali colocados para interromper o protesto, enquanto a polícia usava drones para disparar gás lacrimogêneo contra a multidão. Alguns manifestantes também foram detidos.

    Agricultores indianos iniciam marcha até Nova Delhi para protestar contra os preços das colheitas
    Agricultores indianos iniciam marcha até Nova Delhi para protestar contra os preços das colheitas / Reuters

    Os arredores de Nova Delhi estavam silenciosos, com equipes de controle de distúrbios montando guarda atrás de barricadas nas principais estradas que levam à capital nacional, onde a polícia proibiu grandes reuniões.

    Os sindicatos agrícolas procuram garantias, apoiadas por lei, para mais apoio estatal ou para a compra de colheitas a um preço mínimo. Eles também querem que o governo honre a promessa de duplicar a sua renda.

    O ministro da Agricultura, Arjun Munda, disse aos repórteres na segunda-feira, após conversas com líderes sindicais, que algumas questões foram resolvidas, mas que são necessárias mais discussões.

    “Estamos esperançosos de que traremos soluções”, disse ele.

    O principal partido de oposição da Índia disse que o governo falhou com os agricultores.

    “Como resultado de preços de mercado inadequados e do aumento simultâneo dos preços dos fatores de produção, os agricultores estão cada vez mais endividados”, disse o legislador Jairam Ramesh, numa publicação nas redes sociais.

    O governo anuncia preços mínimos para mais de 20 culturas todos os anos, mas as agências estatais compram apenas arroz e trigo a estes preços, o que beneficia apenas cerca de 6% dos agricultores.

    Em 2021, quando o protesto dos agricultores que durou um ano levou o governo de Modi a revogar algumas leis agrícolas, destinadas a desregulamentar vastos mercados agrícolas, o governo disse que iria criar um painel para encontrar formas de garantir preços de apoio para todos os produtos agrícolas.

    Os agricultores acusam o governo de atrasar essa promessa.

    betway Mapa do site