betway

Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    CNN Esportes

    Uruguai de Marcelo Bielsa quebra tabus históricos em bom início nas Eliminatórias

    Celeste venceu a Argentina nesta quinta (16), em Buenos Aires, após mais de três décadas sem triunfos no país

    Bielsa durante sua apresentação como treinador da Seleção Uruguaia
    Bielsa durante sua apresentação como treinador da Seleção Uruguaia Sandro Pereyra/Getty Images

    Bruno Rodriguesda CNN

    Bastaram apenas seis meses de trabalho para que o técnico Marcelo Bielsa ajudasse o Uruguai a quebrar dois tabus históricos.

    Nesta quinta-feira (16), a equipe comandada por “El Loco” venceu a Argentina por 2 a 0 em La Bombonera, pela quinta rodada das Eliminatórias. Além de ter registrado a primeira vitória como visitante contra a Albiceleste na história do classificatório sul-americano, o Uruguai não vencia o rival em território argentino havia 36 anos.

    O último triunfo “nas margens de lá” do Rio da Prata tinha acontecido na semifinal da Copa América de 1987, quando a Celeste bateu a Argentina por 1 a 0, no Monumental de Nuñez, gol de Antonio Alzamendi — os uruguaios seriam os campeões do torneio.

    “Uruguai vence o campeão mundial”, titulou o diário El Día naquele 10 de julho de 1987. Um triunfo que, assim como o desta quinta, derrubou os vigentes campeões do mundo.

    O resultado histórico na Bombonera se junta à vitória de 2 a 0 sobre o Brasil de Fernando Diniz, em outubro, que findou um jejum de 22 anos sem que a Celeste pudesse vencer a Seleção Brasileira por qualquer competição.

    “[Bielsa] Nos fez perceber que podíamos jogar de igual para igual”, afirmou o zagueiro e capitão José María Giménez.

    Depois de uma Copa do Mundo decepcionante no Catar sob o comando de Diego Alonso, com eliminação ainda na fase de grupos, os uruguaios se animam com o início de trabalho de Bielsa, que coloca o Uruguai na segunda colocação das Eliminatórias. O técnico, porém, trata de minimizar a euforia.

    “O próximo jogo sempre vai apagando os efeitos do anterior. Renova-se a exigência e a demanda por triunfos. É preciso respeitar os tempos e ir somando atuações que consolidem um estilo”, disse o treinador argentino.

    Na próxima terça-feira, o Uruguai recebe a Bolívia, em Montevidéu, pela sexta rodada das Eliminatórias. Se vencer os bolivianos e a Argentina não conseguir uma vitória contra o Brasil, no Maracanã, a Celeste pode assumir a liderança.

    Acompanhe a CNN Esportes em todas as plataformas

    betway Mapa do site