betway

Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Governo anuncia 20 acordos de empresas e entes públicos brasileiros em viagem à China

    Entre os acordos, também está uma parceria entre Eletrobras e State Grid para projeto de revitalização do sistema de transmissão da hidrelétrica de Itaipu

    Lula (PT) e ministros visitam a China nesta semana.
    Lula (PT) e ministros visitam a China nesta semana. Beto Barata/PR

    Da CNN

    O governo brasileiro anunciou nesta sexta-feira (14) a assinatura de 20 acordos comerciais entre empresas e entes públicos do Brasil e da China durante a viagem do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ao país asiático, onde ele se encontrou com o líder Xi Jinping.

    Além dessas negociações entre empresas, Lula assinou com o presidente chinês outros 15 acordos envolvendo os governos de Brasil e China. A CNNhavia antecipado alguns desses acordos na quinta-feira (13).

    Três dos acordos envolvem empresas do grupo JBS. A marca Seara acertou a compra de 280 caminhões elétricos da JAC Motors, que serão utilizados na distribuição local de produtos no Brasil.

    A marca Friboi fechou acordo para utilizar estrutura de distribuição de produtos da WHG na China. Já própria JBS firmou parceria com o Banco da China para crédito para exportação, com prazo de até 4 nos.

     

    No setor de energia, a Eletrobras e State Grid fecharam parceria para um projeto de revitalização do sistema de transmissão da hidrelétrica de Itaipu.

    Já a SPIC, gigante chinesa com forte atuação em energias renováveis, assinou um memorando com a Prumo Logística para avaliar a viabilidade financeira e técnica de projetos de energia renovável (eólica offshore, solar, hidrogênio “azul”, a partir de gás natural; e “verde”, de fonte renovável) no Porto do Açu (RJ).

    Em infraestrutura, Odebrecht, Power China e Sete Partners firmaram parceria para trazer soluções conjuntas a projetos da área no Brasil.

    Veja os 20 acordos entre empresas e entes públicos

    -Prumo Logística e SPIC assinaram MoU para realização de estudos de avaliação da viabilidade financeira e técnica de projetos de energia renovável (eólica offshore, solar, hidrogênio azul e verde) no Porto do Açu, no Rio de Janeiro.

    -A Seara anunciou a aquisição de 280 caminhões elétricos da JAC Motors. A compra será realizada pela No Carbon, empresa da JBS Novos Negócios, para distribuição local no Brasil. Cada veículo elétrico evita o lançamento anual de cerca de 30 toneladas de CO2.

    -A Friboi estabeleceu parceria com a WHG para utilização da estrutura da empresa para distribuição dos produtos da Friboi na China. O grupo tem capilaridade no país, favorecendo a presença de produtos frescos brasileiros no mercado local.

    -A JBS e o Banco da China firmaram parceria para concessão de crédito para exportação para a JBS, com prazo de até 4 anos.

    -Banco do Brasil e ICB (Cooperation Industrial and Commercial Bank of China) assinaram MoU para cooperação no enfrentamento às mudanças climáticas, com metas de desenvolvimento sustentável e equidade social, investimento, financiamento, apoio técnico, entre outros.

    -Furnas e State Grid uniram-se para desenvolver o projeto de Revitalização da Transmissão DC da Hidrelétrica de Itaipu, a maior usina hidrelétrica brasileira.

    -Os Correios do Brasil e o Grupo Cainiao assinaram convênio para melhorar o tempo de entrega de ponta a ponta e a eficiência das atividades de entrega dos Correios; projetar e desenvolver novos produtos de serviço logístico nacional e internacional; estabelecer e expandir a rede de instrumentos de coleta automática no Brasil; entre outros objetivos.

    -A Suzano assinou 3 acordos com parceiras chinesas: 1) com a COSCO, para a construção de 5 navios de transporte de celulose e produtos de base biológica, incluindo contrato de transporte de longo-prazo; 2) um MoU com o grupo China Forestry Group, para colaboração em materiais de base biológica e carbono e investimentos e P&D; e 3) o anúncio do lançamento do Innovability Hub, na Cidade da Ciência de Zhangjiang, em Xangai.

    -A Vale celebrou 7 acordos com parceiros chineses. 1) com a Universidade Tsinghua para intercâmbio de conhecimento técnico; 2) com a Central South University (CSU) para pesquisas científicas em siderurgia de baixo carbono; 3) com a XCMG para desenvolvimento da primeira motoniveladora zero emissão do mundo, com porte exclusivo para atividade de mineração com a empresa XCMG. Se bem-sucedido, o projeto permitirá a migração de toda frota de motoniveladoras da Vale nos próximos anos; 4) Acordo de Cooperação com a Baoshan Iron & Steel (empresa do grupo Baowu) para a produção de biocarvão e suas aplicações, visando soluções de descarbonização na indústria siderúrgica;

    5 e 6) dois acordos com instituições bancárias chinesas: um com o Industrial and Commercial Bank of China (o ICBC) e o Bank of China, para cooperação financeira envolvendo linhas de credito abrangentes para mineração no Brasil e para grandes projetos ao redor do mundo, além de outras parcerias financeiras, especialmente cooperação financeira verde, fortalecendo projetos de energia verde; e7) a Vale Indonésia assinou, ainda, um sétimo acordo de investimento em projeto com a Tisco (grupo Baowu) e a Xinhai para a construção de uma planta de processamento de níquel RKEF e outras instalações de apoio. O projeto, com potencial de baixo carbono, utilizará energia alimentada a gás.

    -A Odebrecht Engenharia e Construção, a Power China e a Sete Partners firmaram parceria para trazer soluções conjuntas a projetos de infraestrutura no Brasil.

    -O Banco BOCOM BBM anunciou sua adesão ao CIPS (China Interbank Payment System), que é a alternativa chinesa ao Swift. A expectativa é a redução dos custos de transações comerciais com o câmbio direto entre BRL e RMB. O banco será o primeiro participante direto desse sistema na América do Sul.

    -A sucursal brasileira do Industrial and Commercial Bank of China (Brazil) passou a atuar como banco de compensação do RMB no Brasil. As reduções das restrições ao uso do RMB objetiva promover ainda mais o comércio bilateral e facilitar investimentos com o RMB.

    -Unifique, que atua no fornecimento de acesso à Internet, telefonia móvel e fixa, TVHD e serviços de data center, e a Zhongxing Telecom Equipment (ZTE) firmaram acordo para fortalecer a cobertura da rede 5G na região sul do Brasil.

    -VYP Medicine e Chinese Association (Shenzhen) Internet assinaram acordo para registro e comercialização do Azvudine no Brasil. O Azvudine é o primeiro medicamento para o tratamento oral do neo-coronavírus de pequena molécula, desenvolvido na China.

    -ETERC engenharia e CITIC Construction Co., estatal chinesa, firmaram parceria para atuação conjunta em projetos de infraestrutura e no programa de habitação de interesse social no Brasil.

    -Propav Construções e Montagens e China Hualong firmaram memorando para desenvolvimento conjunto das oportunidades comerciais no Brasil e internacionalmente para exportação de bens e serviços no setor de infraestrutura.

    -Motrice Soluções em Energia e China Gansu International Corporation for Economic and Technical Cooperation Co., ltd. (CGICO) firmaram memorando na área de Energias Renováveis, com foco na importação e execução de serviços e investimentos.

    -A empresa brasileira BMV global constituiu 2 acordos com empresas chinesas para a comercialização de créditos de biodiversidade: 1) com a HRH (Chongqing), para promover o comércio e serviço sustentável, e lançamento da plataforma de comércio de crédito de biodiversidade entre a China e o Brasil; e 2) com a HRH Pharmaceutical, adquirindo o crédito de biodiversidade como mecanismo de compensação do seu impacto ambiental, e a obtenção do selo de boas práticas ESG – selo BMV de sustentabilidade.

    -A Sete Partners e a Sinomec firmaram parceria nas áreas de energia renovável, agricultura e outros setores.

    -A Sete Partners e a Tianjing Food Group se associaram para a criação de uma empresa binacional, visando ampliar investimentos na cadeia agrícola brasileira em diversas áreas, inclusive logística.

    -A Comexport realizou acordo com a Furui para a venda de produtos e soluções da empresa no mercado brasileiro.

    Acordos entre entes públicos brasileiros e empresas e instituições chinesas

    -O Ministério da Infraestrutura, a ANTAQ e a Autoridade Portuária de Santos assinaram acordo com o Terminal Export COFCO para desenvolvimento do Projeto STS11 no Porto de Santos, um dos mais importantes polos de exportação do Brasil. A concessão é de 25 anos e a capacidade planejada do projeto é superior a 14 milhões de toneladas.

    -O Ministério de Minas e Energia e a SPIC assinaram acordo com o objetivo de realizar estudos de viabilidade para construção e operação de pequenas usinas de energia solar, complementadas por miniturbinas eólicas, baterias e purificadores de água, em áreas remotas da floresta amazônica, com foco em comunidades isoladas.

    -O Governo do Ceará firmou 7 acordos: 1) com a Mingyang Smart Energy Group para o investimento e implantação do centro de tecnologia e reparo de aerogeradores no Estado do Ceará; 2) com o Grupo Internacional Powerchina para o investimento e implementação da central de energia renovável e hidrogénio verde no Estado; 3) com a SPIC, para realização de estudos de viabilidade de projetos na produção de energia eólica onshore e offshore, solar, hidrogênio azul e verde e combustíveis dentro do Complexo Industrial e Portuário do Pecém;

    4) com a Gansu Science & Technology Investment Group, para incentivar o desenvolvimento comum de ambas as partes, através de consultas amigáveis e de acordos de princípios básicos de partilha de recursos, vantagens de complementariedade, cooperação “ganha-ganha” e desenvolvimento coordenado; 5) com a Envision Energy International Trading Limited para o investimento na produção de tecnologias voltadas à transição energética no Estado do Ceará;

    6) com a Boc International Holdings Limited para estudar em conjunto potenciais colaborações comerciais e financeiras com empresas cearenses e chinesas, inclusive instituições financeiras na área das energias renováveis, recursos naturais, serviços públicos, infraestruturas, agricultura, artes e turismo cultural; e 7) com a Huawei do Brasil. para viabilização de cooperação tecnológica e realização de estudos de viabilidade para investimentos no Estado.

    -A ApexBrasil e a Venture Cup China formalizaram parceria para apoiar startups brasileiras a desenvolverem negócios na China, bem como organizar, conjuntamente, a semana da inovação, que terá foco em soluções ligadas à economia verde e de baixo carbono, à sustentabilidade aplicada ao agronegócio e à digitalização.

    -A ApexBrasil e a Beijing Hycore Innovation assinaram instrumento de cooperação com o objetivo de apoiar startups brasileiras a estabelecer negócios com a China, no contexto da competição de empreendedorismo e evento global HICOOL 2023.

    Publicado por Marcelo Freire, com informações da Reuters

    betway Mapa do site